Quando a entrada de dinheiro é maior que a saída, nada parece ser um problema. Mas dormir em períodos que são ocupados com inúmeros cálculos e a conta não fecha, realmente não são períodos fáceis.

Logo que surgem as dívidas é preciso manter a calma, já que o desespero não vai ajudar em nada, é hora de encontrar uma saída.

Por muito tempo vivemos o boom do crédito fácil, mas o que ninguém reparou é que crédito fácil não é sinônimo de crédito barato.

As melhores estratégias para resolver as dívidas

Equilibrar as finanças não é tarefa simples, e em um momento delicado como esse, algumas opções são realmente boas para resolver o problema e sair dessa fase fortalecido.

– Assuma a responsabilidade

Não é exatamente o que você gostaria de estar vivendo, não foram esses os planos que você fez, mas é a sua realidade. E encara-la de frente é o primeiro passo a ser tomado.

– Pare com todos os gastos

É hora de sobreviver. Absolutamente tudo deverá ser cortado. Ficam as despesas fundamentais. E é dada a largada para a temporada de cálculos e mais cálculos.

– Crie um plano

A conta não fecha, mas ela existe. Então a partir dos cálculos é possível descobrir qual o valor que está entrando e o seu poder de pagamento das dívidas. Também é necessário descobrir o montante dessa dívida antes de ir em busca da negociação. Pode ser interessante trocar várias dividas somente por uma, isso facilita e acalma. E trocar o pagamento de juros de várias dívidas por uma, já começa a se apresentar como boa solução.

– Negocie

Dependendo do tempo de acúmulo da dívida, é possível tentar o abatimento ou prazos mais largos para o pagamento.

– Considere um empréstimo

Mais uma dívida? Calma, a ideia de trocar várias dívidas por uma pode ser solucionada dessa forma. Alguns cálculos serão necessários antes dessa decisão.

– Hipotecar a casa

Geralmente a casa representa o bem material mais valioso, portanto, utilizar a casa como garantia para tomar um empréstimo pode ser uma saída. As taxas de juros nesse caso são bem mais atraentes que outras modalidades praticadas pelos bancos.

– Priorize

Se são muitas as dívidas e não consegue dar conta de tudo, você precisa priorizar. Comece pagando as menores, e vá negociando a troca das mais caras por formas mais baratas de quita-las.

– Aprenda com os seus erros

Agora em diante não há desculpas, nunca mais cometa os erros que levaram a essa situação e reflita bastante antes das próximas escolhas.

Unicidade é melhor que ações isoladas

Quando se fala em troca de dívidas mais caras por dívidas mais baratas, é porque o efeito emocional que causa imediatamente já ajuda para que a pessoa se mantenha firme em seus propósitos.

Ninguém deseja se endividar, mas algumas pessoas fazem grandes esforços para isso. Portanto, é muito fácil que as taxas de inadimplência aumentem em momentos de crise. Porque se os ventos já não sopram a favor, qualquer deslize pode causar grandes estragos.

Mas a maior lição de períodos difíceis de endividamento é: mantenha os custos baixos permanentemente.

Não basta gastar dentro do que se ganha. Inteligente mesmo é que consegue cada vez mais reduzir seus custos.

Esses processos trazem resultados visíveis nos curto e médio prazos. E o longo prazo estará seguro, mesmo diante de cenários econômicos instáveis, aumento de taxas de juros.

As melhores lições financeiras para empreendedores

Muitos são os motivos que podem levar uma pequena empresa à falência: erros no caixa, erros no cálculo do capital de giro, precificação errada, custos elevados, investimentos equivocados.

A maior parte dos pequenos negócios não sobrevive ao segundo ano de vida.

Para fazer diferente, fique atento aos detalhes:

– o controle de caixa, ou fluxo de caixa, deve ser diário e é indispensável. É preciso projetar recebimentos e gastos futuros para tomar ações preventivas. E após os períodos é preciso comparar o que fora projetado com a realidade, assim é possível verificar de fato a saúde financeira dos seus negócios.

– identificar sobras e destina-las ao fundo de capital de giro é uma das melhores decisões a tomar.

– o principal sinal de necessidade de alteração de preço é a concorrência. Existe um preço praticado pelo mercado, e isso é um bom parâmetro.

– em relação aos custos o ponto principal é o controle, e eliminar tudo aquilo que não tem função direta ou indireta para a manutenção do negócio.

– o prazo e retorno é o que deve definir o valor a ser investido. Além disso, deve-se usar, no máximo, dois terços dos recursos em infraestrutura e pessoal, a outra parte deverá ser observada como capital de giro e direcionada para o marketing.

Para tudo é necessário avaliar os riscos, para evitar a inadimplência, por exemplo, é fundamental fazer uma análise do perfil do cliente. E sempre efetivar vendas com formas de pagamentos seguras, como cartão de crédito.

Esteja sempre alerta.

 

 

Baixe agora mesmo nosso eBook, e saiba mais!

Não enviamos spam